Gastronomia interativa – eat with, um jeito delicioso de partilhar uma refeição

Em tendências | 08/12/2014Comentários

 

Alta gastronomia em ambiente intimista: um mergulho na cultura argentina atrai cada vez mais turistas para o Eat With e para os Restaurantes Puertas Cerradas.

 

 

Nada melhor para se conhecer de verdade um país do que dividir a mesa com quem mora nele. Essa experiência é possível e está em alta na Argentina, onde o hábito de compartilhar a mesa com turistas está a tornar-se, além de comum, lucrativo.

 

 

Convidar desconhecidos para partilhar interativamente a mesa e a cozinha de casa é uma tendência que nasceu em Israel, está presente em 31 países e ganhou o nome de “Eat With”. Na Argentina há onze anfitriões, dos quais oito estão em Buenos Aires.

 

 

A proposta é simples: compartilhar uma refeição com alguém que mora na cidade – seja ele argentino ou não. A comida pode ser desde um churrasco bem portenho até um piquenique no Parque Centenário, passando por uma tarde de tapas e vinhos em Mendoza.

 

 

Casa-Felix-Buenos-Aires

Casa Felix, em Chacarita

 

 

Qualquer pessoa pode inscrever-se e passa a constar da lista de anfitriões – não precisa ser cozinheiro profissional – e os visitantes fazem a reserva pelo site, onde estão todos os dados do encontro, como por exemplo, o idioma, o tipo de comida e a gama de preços.

 

 

Outra tendência argentina são os restaurantes de portas fechadas. Ou Puertas Cerradas, como dizem nossos vizinhos portenhos. O jeito de comer mais intimista e interativo começou em 2009 e hoje mais de cem endereços servem dessa maneira em Buenos Aires. São restaurantes privados, que funcionam nas casas dos próprios donos. Para comer por lá é obrigatório, também, fazer reserva. Geralmente, não há placas nas portas e a divulgação é boca a boca. A ideia é fechar as portas e abrir as cozinhas.

 

 

Qualquer pessoa buscando uma experiência gastronômica alternativa deveria tentar reservar um Puertas Cerradas na sua próxima viagem à Argentina. Essa é uma ótima maneira de curtir a noite portenha em um ambiente íntimo, que facilita o contato entre argentinos e estrangeiros. A alta qualidade da comida, feita por verdadeiros amantes da gastronomia, deixa tudo ainda melhor. O cardápio completo custa entre AR$ 100 e AR$ 500 por pessoa.

 

Chef Mun

O restaurante de chef Mun, em Palermo

 

O que atrai os turistas – 60% são americanos, 30% brasileiros e o pouco que resta é dividido entre o restante do Globo –  são as curiosidades que envolvem os donos dos restaurantes. Quem não quer saber da vida de uma vietnamita que veio estudar espanhol e se apaixonou por um argentino, de uma bisavó de 80 anos que comanda uma casa de alta cozinha judia, ou como três amigos de longa data, que começaram a cozinhar por farra e viraram chefs de cozinha?

 

 

Comer em um restaurante de portas fechadas é uma ótima maneira de conhecer um lado diferente da noite de Buenos Aires, definitivamente menos turístico e mais íntimo, como um divertido jantar com amigos em casa.

 

 

 

Serviço: 

Guia de Eat With:

http://www.eatwith.com/#!/list/argentina

 

Restaurantes Puertas Cerradas:

Casa Felix, Chacarita 

Reservas: info@colectivofelix.com

http://colectivofelix.com/

 

Casa Mun, Palermo:

Reservas: info@chefmun.com

+54 (9261) 691 9732
http://www.chefmun.com/

 

Saltshaker, Barrio Norte:

Reservas: casasaltshaker@gmail.com

http://www.casasaltshaker.com/

 

Cocina Sunae, Colegiales

Reservas: reservas@cocinasunae.com

http://www.cocinasunae.com/

 

Le Restaurant, Corrine et Paul

Reservas: chez_rest@yahoo.com.ar

 

 

 

Tags:

[fbcomments]