Em entrevista, Sofia Mesquita fala da sua paixão pela gastronomia

Em tendências | 14/09/2015 Comentários



Crítica gastronômica e gestora dos cursos de Gastronomia da Estácio, Sofia Mesquita foi destaque em uma entrevista para o site Mulher Executiva, de Portugal. Intitulada “O segundo ato de Sofia Mesquita”, a matéria revela a mudança de profissão e como a gastronomia hoje faz parte da sua vida.  Antes de se encantar pela cozinha, Sofia dedicou-se por muitos anos como diretora de agências e grandes contas do Expresso.

 

Na entrevista, Sofia conta como mudou de carreira e assumiu a sua paixão pela gastronomia. Em 2012, ela decolou para Paris e se formou no Le Cordon Bleu, um salto importante em sua trajetória.

 

“Sempre gostei muito de cozinha. Em casa, somos todos muito apaixonados por cozinhar e por comer! Somos cinco filhos, três meninas e dois rapazes, e todos nós nos sentimos muito confortáveis na cozinha. Herdamos esse gosto dos nossos pais. A minha mãe é a minha inspiração. Conheço grandes chefs, mas poucos têm a sua capacidade de me surpreender. O slow food era já como que um princípio básico na cozinha da minha mãe: fomos criados com comida de verdade, feita em casa, com ingredientes biológicos, do produtor local ou de origem controlada. Muitas vezes o peixe vinha diretamente do pescador: comprávamos na praia em frente a casa.”
Confira a entrevista completa

O toque fresco dos citrinos

Em melhores mordidas tendências | 15/01/2015 Comentários

 

 

A proposta de Pascal Meynard no menu de festa

 

 

 

Por Maria José Martins 

 

Na oferta gastronômica da hotelaria de luxo lisboeta é obrigatório destacar o majestoso restaurante Varanda do Ritz Four Seasons. De origem francesa, natural de Amiens, Pascal Meynard é o chef executivo responsável pela experiência gastronômica oferecida por esta grande unidade hoteleira de 5 estrelas, construída na década de cinquenta, com a missão de dignificar a hotelaria de luxo portuguesa e de projetar o nome de Lisboa internacionalmente. Localizado em pleno coração da cidade, com cerca de 290 quartos, numa das sete colinas de Lisboa, tem uma das vistas mais belas sobre o Tejo e a zona histórica. Um lugar privilegiado para o lazer e negócios, onde se encontram diariamente a elite politica e econômica de Portugal. Propriedade da família Queiroz Pereira, com uma já longa tradição industrial no país, o Ritz de Lisboa é gerido, desde os finais dos anos 90, pela célebre cadeia canadiana Four Seasons.

 

No período de festas, fomos testar a propostas de menu assinadas por Pascal Meynard. O chef trabalha há 6 anos no Grupo, depois de ter passado pela cozinha de alguns conceituados restaurantes franceses, incluindo de uma estrela Michelin, o Ithurria, na região basca, o Le Pré Catelan e o Le Pavillon Royal, em Paris. Por estes dias, o Ritz foi um dos hotéis de luxo mais procurados na capital portuguesa, as festas para empresas, a ceia e os almoços de Natal e passagem do ano, bem como a grande noite de Réveillon, atraem clientes de todo o mundo e, em particular, do Brasil. Momentos de partilha e celebração que Pascal e a sua equipa preparam ao mais ínfimo pormenor.

 

Restaurante Varanda do Ritz Four Season - Lisboa

 

 

Apesar deste frenesim de hóspedes, a cozinha chefiada por Meynard é um lugar sereno. O chef vê-se que é próximo da sua equipa – que faz questão de o cumprimentar sempre com sorriso. Percebe-se bem que há um espírito de união entre todos. Surpreende a atitude simpática de Pascal, contrariando um certo estereótipo de chef, mais autoritário e individualista na forma de trabalhar.  Aqui, encontrei um chef sempre dócil e atencioso e pronto a partilhar os seus conhecimentos. Mostra-nos as frutas e legumes que chegam de uma quinta do Alentejo, cujo nome não mais esquecerei: “Lugar do Olhar Feliz”. Talvez por isso, os pratos que se preparam tenham cores e sabores que nos deixam também com um ar satisfeito. Propostas sofisticadas, que convidam a uma digestão leve e com um toque fresco dos citrinos, ingrediente que o chef gosta de adicionar às suas receitas.

 

No Natal e no Ano Novo, o chef Pascal Meynard propôs como entradas e numa primeira opção Foe gras de pato, crocante de chocolate 70%, abóbora menina confit com fava Tonka, geleia de Grandjó. Como segunda opção, a pensar no Ano Novo, vieiras sautée, lavagante azul, legumes crocantes e emulsão de Kombava do Alentejo. Já como pratos principais, o chef elaborou uma lasanha de lagostins com pimenta Timut do Nepal, legumes com gengibre e lima. Para abrir o apetite a 2015, um salmonete com crocante de azeitona e mariniére de bivalves e emulsão de clorofila.

 

Menu Varanda do Ritz Four Seasons

 

Quanto às sobremesas?! Essas estão a cargo do Chef Pasteleiro Fabian, que nos adoça os sentidos com uma obra de arte: a efera de chocolate araguani, praline feuilletine, framboesa e hibiscus. Na passagem de ano, o chocolate voltou a ser o rei da noite, com um cremoso de chocolate Giandujá, ananás confit com lima e coentros, sorbet pina colada. Tudo testado e aprovado!

 

 

Maria José Martins

 

 

 

 

 

 

*Maria José Martins é coordenadora editorial do I´m in Motion e apreciadora da boa cozinha. Sempre que tem oportunidade adora reunir a família e os amigos à volta da sua mesa.

 

 

 

Gastronomia interativa – eat with, um jeito delicioso de partilhar uma refeição

Em tendências | 08/12/2014 Comentários

 

Alta gastronomia em ambiente intimista: um mergulho na cultura argentina atrai cada vez mais turistas para o Eat With e para os Restaurantes Puertas Cerradas.

 

 

Nada melhor para se conhecer de verdade um país do que dividir a mesa com quem mora nele. Essa experiência é possível e está em alta na Argentina, onde o hábito de compartilhar a mesa com turistas está a tornar-se, além de comum, lucrativo.

 

 

Convidar desconhecidos para partilhar interativamente a mesa e a cozinha de casa é uma tendência que nasceu em Israel, está presente em 31 países e ganhou o nome de “Eat With”. Na Argentina há onze anfitriões, dos quais oito estão em Buenos Aires.

 

 

A proposta é simples: compartilhar uma refeição com alguém que mora na cidade – seja ele argentino ou não. A comida pode ser desde um churrasco bem portenho até um piquenique no Parque Centenário, passando por uma tarde de tapas e vinhos em Mendoza.

 

 

Casa-Felix-Buenos-Aires

Casa Felix, em Chacarita

 

 

Qualquer pessoa pode inscrever-se e passa a constar da lista de anfitriões – não precisa ser cozinheiro profissional – e os visitantes fazem a reserva pelo site, onde estão todos os dados do encontro, como por exemplo, o idioma, o tipo de comida e a gama de preços.

 

 

Outra tendência argentina são os restaurantes de portas fechadas. Ou Puertas Cerradas, como dizem nossos vizinhos portenhos. O jeito de comer mais intimista e interativo começou em 2009 e hoje mais de cem endereços servem dessa maneira em Buenos Aires. São restaurantes privados, que funcionam nas casas dos próprios donos. Para comer por lá é obrigatório, também, fazer reserva. Geralmente, não há placas nas portas e a divulgação é boca a boca. A ideia é fechar as portas e abrir as cozinhas.

 

 

Qualquer pessoa buscando uma experiência gastronômica alternativa deveria tentar reservar um Puertas Cerradas na sua próxima viagem à Argentina. Essa é uma ótima maneira de curtir a noite portenha em um ambiente íntimo, que facilita o contato entre argentinos e estrangeiros. A alta qualidade da comida, feita por verdadeiros amantes da gastronomia, deixa tudo ainda melhor. O cardápio completo custa entre AR$ 100 e AR$ 500 por pessoa.

 

Chef Mun

O restaurante de chef Mun, em Palermo

 

O que atrai os turistas – 60% são americanos, 30% brasileiros e o pouco que resta é dividido entre o restante do Globo –  são as curiosidades que envolvem os donos dos restaurantes. Quem não quer saber da vida de uma vietnamita que veio estudar espanhol e se apaixonou por um argentino, de uma bisavó de 80 anos que comanda uma casa de alta cozinha judia, ou como três amigos de longa data, que começaram a cozinhar por farra e viraram chefs de cozinha?

 

 

Comer em um restaurante de portas fechadas é uma ótima maneira de conhecer um lado diferente da noite de Buenos Aires, definitivamente menos turístico e mais íntimo, como um divertido jantar com amigos em casa.

 

 

 

Serviço: 

Guia de Eat With:

http://www.eatwith.com/#!/list/argentina

 

Restaurantes Puertas Cerradas:

Casa Felix, Chacarita 

Reservas: info@colectivofelix.com

http://colectivofelix.com/

 

Casa Mun, Palermo:

Reservas: info@chefmun.com

+54 (9261) 691 9732
http://www.chefmun.com/

 

Saltshaker, Barrio Norte:

Reservas: casasaltshaker@gmail.com

http://www.casasaltshaker.com/

 

Cocina Sunae, Colegiales

Reservas: reservas@cocinasunae.com

http://www.cocinasunae.com/

 

Le Restaurant, Corrine et Paul

Reservas: chez_rest@yahoo.com.ar

 

 

 

Tendências e novidades para 2014: do digital à junk food saudável

Em tendências | 07/07/2014 Comentários

 

Dois mil e quatorze chegou como um dos anos que prometem mais inovações no campo gastronômico. São muitas as novidades que aparecem e que dão cara nova a muitos conceitos já tradicionais no mundo culinário.

» Leia mais

Tendências culinárias que valem a pena acompanhar em 2014

Em tendências | 16/06/2014 Comentários

 

Se um grupo formado por mais de 125 chefs, donos de restaurante, analistas de mercado, consumidores e experts da mídia na cozinha entra em consenso sobre o que estará em voga na culinária em 2014, dificilmente estarão errados. A partir de uma demanda do Sterling-Rice Group, líder global em consultoria gastronômica, este team fantástico escolheu quais são as tendências que valem a pena ficar de olho este ano.

» Leia mais